Por que estudar fotografia?

Em meio a tantos blogs e canais do Youtube você pode se perguntar: É necessário fazer um curso?


Como professor de fotografia, posso parecer suspeito em dizer que você deve procurar um curso. Para não parecer que estou apenas “vendendo meu peixe”, vou usar minha própria história para como referência.

 

Eu também comecei como autodidata. Era um verdadeiro caçador de blogs e conteúdos pela internet. Em 2005 comprei uma Fujifilm HS20, eu estava encantado em ter conseguido adquirir uma câmera com zoom estratosférico, porém, mais de um ano se passou e eu não tinha conseguido dominar totalmente o equipamento (Primeira decepção).

 

Algum tempo depois eu pude trocar de câmera. Saí para comprar uma Canon 60d, e guiado pelos youtubers da vida, cheguei na loja, estufei o peito e falei: “Não vou querer a lente do Kit! Quero uma cinquentinha 1.8”. Quando cheguei em casa... (Segunda decepção). Descobri que a famosa cinquentinha não tinha zoom e que a 50mm não era a melhor opção para ser minha única lente em uma câmera cropada.  Final das contas: tive que colocar “o rabo no meio das pernas” e voltar na loja para comprar a lente do kit.

 

Desse momento em diante eu vi que não adiantava ficar relutando em caçar conhecimentos aleatórios na internet. A partir daí, comecei a procurar por cursos on-line, presenciais, técnicos e a graduação.

 

 

 

 

Alguns pontos importantes:

 

1 – Estudar fotografia nunca será investimento perdido. Você poderá aplicar os conhecimentos nas mais diversas áreas da sua vida:

 

  • Vai melhorar as fotos que faz da sua família;
  • Vai melhorar os registros das viagens que faz;
  • Vai melhorar as fotos de produtos que vende em um site ou redes sociais;
  • Pode despertar um novo hobbie ou passatempo;
  • Pode seguir uma carreira profissional.

 

2 – Um bom curso de fotografia te permite chegar muito mais rápido no teu objetivo.

 

O grande problema de procurar conteúdo na internet, além da confiabilidade do conteúdo, é a falta de uma sequência didática. Quando estamos começando, temos uma ansiedade em querer aprender tudo para ontem e isso atrapalha e muito o aprendizado. O aluno que procura por um conteúdo “avançado” sem ter passado pelo processo básico de aprendizagem, pode aprender da forma errada ou se frustrar diante das dificuldades que irá encontrar.

 

3 – Curso de fotografia deve ser aplicado por um professor de fotografia!

 

Parece óbvio, não? Mas muitas pessoas procuram um “professor” que seja fotógrafo de casamentos, eventos, ensaios, mas não é bem assim.

 

Vejo escolas por aí que gostam de contratar as “estrelinhas” do mercado, afim de chamar a atenção dos alunos. Agora eu deixo uma reflexão:

 

O grande fotojornalista ou fotógrafo de casamentos tem o dom, sabe e se preparou para ensinar?

 

Nada impede que o professor seja atuante em alguma área específica do mercado e que essa área seja do seu interesse, mas não podemos colocar as imagens em detrimento da “experiência em ensinar”.

 

É claro que antes de qualquer coisa o professor deve saber FAZER, mas lembro da minha antiga graduação em Eletroeletrônica Industrial. Tive aulas com professores engenheiros, mestres e doutores na área. Ninguém os questionava sobre quantos projetos eles já tinham feito. Eles eram professores, mestres, doutores, dedicavam a vida ao ato de ensinar e isso bastava.

 

É um caso bem diferente de um workshop, em que o fotógrafo compartilha dicas e experiências dentro da sua área de atuação.

 

4 - Thiago, mas "fulano" é um renomado fotógrafo e é autodidata!

 

Se fizermos uma rápida pesquisa podemos listar uma infinidade de fotógrafos famosos que são autodidatas, um exemplo é Robert Doisneau, um dos fotógrafos mais famosos da história. Repito a minha frase: Um bom curso te permite chegar mais rápido ao teu objetivo. Estudar com orientação é sempre mais "fácil". Mesmo assim temos mais um ponto para avaliar:

 

Roberto Doisneau, assim como outros grandes fotógrafos autodidatas, vieram de uma época onde a informação não tinha a mesma velocidade de hoje. Não havia internet, blogs, YouTube... o conhecimento, apesar da lentidão, era consistente e confiável, vinha através de livros e experiências.

 

Le Baiser de l’Hôtel de Ville Paris (1950) - Uma das fotos mais famosas de Robert Doisneau.

 

 

5 – Fazer um curso de fotografia não te impede de continuar buscando conhecimento na internet.

 

Só não esqueça: Na internet qualquer um escreve o que quiser! Pesquise sobre o autor, sua formação e experiência para não cair em uma cilada.

 

Busquem sempre o conhecimento. Já pensou em melhorar 1% a cada dia? Parece pouco, mas multiplique isso por 365 dias e faça uma releitura um ano depois. O resultado é surpreendente!

 

Espero ter colaborado com essas dicas.

 

Até a próxima!

Thiago Morais dos Santos

Thiago Morais dos Santos

Thiago é fotógrafo e professor de fotografia. Formado pelo Instituto Federal do Paraná e pela Omicron Escola de Fotografia. Estudante do Curso de Licenciatura em Artes Visuais. Trabalha com fotografia de ensaios, eventos sociais e desenvolve projetos autorais na área documental e fotografia de natureza.