Como escolher o primeiro equipamento?

Quem não teve dúvidas quanto à escolha do primeiro equipamento fotográfico?


Para dar início ao blog da Ramoah, nada melhor do que começar abordando uma das maiores dúvidas de quem deseja ingressar na fotografia: “Qual equipamento devo comprar?”

 

 

Quando pensamos em começar na fotografia, a primeira preocupação deveria ser procurar um bom curso, porém, não é o que ocorre na prática. Partindo do princípio de que “todas” as pessoas procuram primeiro o equipamento, vamos analisar alguns pontos importantes.

 

Ao buscar por câmeras em uma rápida pesquisa pelo google, damos de cara com uma infinidade de marcas, modelos, preços, e o pior, um monte de gente falando besteiras.


PORTE DO EQUIPAMENTO


Mais adiante vou falar que o preço do equipamento é diretamente proporcional ao tamanho do sensor, e não ao tamanho ou porte do equipamento, porém, é interessante ter em mente qual seu objetivo na fotografia para poder escolher o equipamento mais adequado.

 

 


Se você procura uma boa câmera apenas para retratos da família, uma câmera bridge será o suficiente, aquelas famosas “superzoom”, sabe? Mas uma coisa eu já adianto: depois de certo tempo a gente se cansa de carregar aquele “trambolho” e sua câmera pode se tornar um peso de papel na sua casa, e se você não pretende explorar as configurações manuais, um bom celular vai cumprir bem o papel. Tamanho não quer dizer “nada”!
Se você pretende trabalhar com fotografia, opte por uma DSLR com objetiva intercambiável. Esses equipamentos darão mais flexibilidade na hora de um upgrade.


Thiago, e as Mirrorless?


Quase todos os usuários de mirrorless foram usuários de DSLR que certo dia cansaram de carregar peso, mas tem dois detalhes: uma boa mirrorless é relativamente mais cara, desde o corpo até as objetivas. Segundo: cliente gosta de contratar fotógrafo com equipamento grande, com mega tele-objetivas, coletes , flashes... ele gosta de ver pra onde o dinheiro dele está indo. A não ser que você já tenha nome no mercado e as pessoas façam questão de contratar você e seu estilo de fotografar.

 

 

As X100 e X-E2 são exemplos bem populares de câmeras mirrorless


A MARCA


Atualmente temos uma infinidade de marcas para escolher: Sony, Canon, Nikon, Fujifilm, Panasonic, Olympus... e por aí vai. Eu não vou cair na besteira de indicar uma marca específica e dizer que esta é a melhor, a não ser que alguém consiga adivinhar qual câmera foi utilizada apenas olhando para a imagem.


Mas uma coisa eu já adiando: ESCOLHAM CANON OU NIKON (podem discordar se quiserem).


Não estou afirmando que essas duas marcas são superiores às demais, jamais. O motivo da escolha é muito simples: indiscutivelmente essas são as duas marcas com maior facilidade de encontrar assistência técnica e acessórios (baterias, objetivas, flashes, disparadores remotos...)
Observação: estou considerando que você procura uma DSLR, ok?

 

APS-C OU FULLFRAME?


Como citei anteriormente, o que define o preço e a qualidade do corpo de uma câmera na verdade é o sensor. Câmeras fullframe (também chamadas de “quadro inteiro), possuem sensores com quase o dobro do tamanho que uma APS-C (também chamada de crop ou meio quadro). Isso não significa que as câmeras com sensor APS-C não prestam, e é nesse caso que você deve analisar o seu orçamento.


Se você está com dinheiro “sobrando” para investir e já está certo de sua vocação, parta logo para uma fullframe! Pode ser uma FF de entrada como a 6D da Canon ou D610 da Nikon. Só não esqueça que as objetivas para FF são relativamente mais caras, mas independente da sua escolha, saiba que é inevitável que um dia você queira migrar para uma FF.


Thiago, meu orçamento está curto!


Sem problemas, encare uma câmera de meio quadro, mas nesse caso, procure uma APS-C com custo mais baixo. As câmeras de meio quadro “avançadas” como a 7d mkIII ou D7200 possuem custo muito próximo à uma FF de entrada, não vale a pena.

O orçamento curto não é o único fator para optar por uma APS-C. Se você ainda não está seguro do seu investimento ou quer "brincar um pouco", antes de colocar dinheiro nessa área. APS-C é o ideal.

Exemplos de câmeras APS-S:

CANON > t5i, t6i, 70D

NIKON > D3300, D5500


OBJETIVAS


Não caia no preconceito que as pessoas tem com relação às lentes do KIT (aquelas que acompanham o corpo da câmera). Elas são ótimas para aprender e para que você possa definir quais serão os próximos investimentos.
O único detalhes das lentes do KIT é que elas são pouco luminosas, os diafragmas trabalham entre f3.5 e 5.6, mas para contornar isso, você pode comprar uma lente 50mm f1.8. É uma objetiva muito luminosa e relativamente barata em relação ao que encontramos no mercado, ótima para retratos se usada em um sensor APS-C.

 

 


ECONOMIZE NO CORPO E INVISTA EM OBJETIVAS.


Escolha o corpo de uma câmera que atenda seus objetivos, mas invista em boas lentes. O corpo das câmeras tem “prazo de validade” que variam de acordo com o modelo e fabricantes. Câmeras FF suportam um número maior de cliques, geralmente mais que 100 mil, nas câmeras de meio quadro esse número é reduzido.
Invista em objetivas que encaixem em câmeras FF, mesmo que você tenha escolhido uma câmera de meio quadro. Quando você for trocar o corpo da sua câmera, poderá continuar com as suas objetivas.


CONSIDERAÇÕES FINAIS


Agora que você já tem um caminho a seguir, escolha seu equipamento conforme sua necessidade, leia o manual e procure orientação para que você possa explorar os recursos dele ao máximo.


Espero que tenham gostado!

Um grande abraço e até a próxima.

 

 

 

Thiago Morais dos Santos

Thiago Morais dos Santos

Thiago é fotógrafo e professor de fotografia. Formado pelo Instituto Federal do Paraná e pela Omicron Escola de Fotografia. Estudante do Curso de Licenciatura em Artes Visuais. Trabalha com fotografia de ensaios, eventos sociais e desenvolve projetos autorais na área documental e fotografia de natureza.